Quatro meses de #projetodri40 e o que mudou para a Dri

Nunca fui regrada com comida. Já tive fases na vida em que eu comia lanche do Mc Donald's quatro vezes na semana, repetia todas as refeições e tomava sozinha 1 litro de refrigerante. Brigadeiro eu comia três vezes na semana uma panela so-zi-nha. E ainda tinha a falsa ideia de que "meu metabolismo é lento", " minha estrutura óssea é pesada".

Acho impressionante a capacidade que eu tinha para inventar desculpas para o meu descontrole e desleixo com relação a alimentação. Sedentarismo então era outro problema crítico na minha vida. Nos meus cinco anos de faculdade me matriculei em academia, natação, outra academia e em nenhuma vez levei a sério a necessidade de acordar mais cedo para frequentar as aulas. Nada nem ninguém conseguia me convencer que eu precisava dar um basta no sono prolongado até as 10h30min e otimizar meu dia, afinal tenho um trabalho que me permite as manhãs e noites inteiramente livres.

E o que me fez mudar, tomar uma decisão drástica para recuperar o prejuízo? Sinceramente, eu não sei. A grande verdade é que não adiantava ouvir das outras pessoas aquelas palavras clichês de encorajamento. A decisão precisou partir única e exclusivamente de mim e a mudança toda que eu fiz foi tão somente para mim.

Hoje não tenho dificuldades em me manter dentro do cardápio elaborado pela minha nutricionista e vou religiosamente na academia cinco vezes na semana, cumprindo todas as series e repetições do meu treino, prestando a atenção nas intensidades, cargas e frequência cardíaca. Suplementos só os indicados pela minha nutricionista e apenas para evitar o famoso catabolismo.

Se eu tenho vontade de comer doces? Sempre tenho e sempre vou ter, mas se posso comer duas porções por semana, então faço a melhor escolha e como apenas essas duas porções. Com frituras a mesma coisa, mas não exagero porque meu organismo reage super mal. Refrigerantes bebo muito raramente e confesso que não sinto falta. 

Sempre que eu me deparo com alguma situação em que a vontade de comer é grande, faço duas perguntas a mim mesma: está na hora de alguma refeição? Vale a pena comer isso ao invés de outro alimento melhor para meu corpo? Se a resposta for sim em ambas, como sem culpa. Agora se em algum dos casos eu pensar em um não, resisto e me mantenho na linha.

Por hoje é só ;)

A importância do "só mais um"

Hoje pela manhã enquanto arrumava meu guarda roupas,  aproveitei para deixar vídeos dos canais que sou inscrita no YouTube reproduzindo no tablet.

Um da Ana Maria de Cesaro, do "tá e daí?" me chamou a atenção. Pra quem não sabe, a Ana Maria é um exemplo de como a atividade física e reeducação alimentar podem transformar não somente o corpo, mas também a vida inteira de uma pessoa. Confesso que o #projetodri40 foi inspirado, e muito,  no #projetoanagostosa. Nesse vídeo que mencionei, ela respondia perguntas de seguidores e uma dessas respostas foi a inspiração para o post de hoje: se você acha que não vai conseguir completar a série de um determinado exercício,  tente conseguir apenas uma repetição, e depois de conseguir essa uma vez, tente só mais um.

Boa Ana Maria! 

É exatamente esse tipo de motivação que é imprescindível para quem está começando a praticar atividade física e reeducação alimentar.

Vamos fazer um trato:

Só mais uma repetição;
Só mais um minuto de corrida;
Só mais um dia de treino;
Só mais uma refeição seguindo a dieta;
Só mais um dia dormindo cedo e acordando mais cedo ainda;
Só mais um!


Essa é a mensagem que eu gostaria de compartilhar com vocês hoje.

Tenham todos uma excelente semana. 
Vem pro treino!

Sozinha é possível, mas com apoio é muito mais fácil


Depois de tomar a decisão de mudar de atitude quanto ao peso e especialmente quanto a saúde,  muitas vezes ficamos em dúvida sobre como e onde começar.

Nesse momento a escolha de parceiros nessa caminhada faz toda a diferença.

Posso citar dois profissionais/segmentos de serviços essenciais para que o projeto de emagrecimento saia do papel e se torne realidade: o educador físico e o nutricionista. Em ambos os casos,  é necessário que haja confiança nesses profissionais,  e isso é um elemento estritamente subjetivo. Eu particularmente tenho uma conexão muito forte com a academia que frequento. Sabe aquele ambiente leve, em que todo mundo faz seu exercício sossegado, sem querer demonstrar habilidades por vaidade com os outros frequentadores? Sem contar a animação do professor quando a gente pede pra evoluir o treino. Sinceramente já frequentei academia em que o instrutor  mais batia papo e atrapalhava minha concentração do que de fato me ajudavam a chegar no objetivo. Nessa me sinto livre e ao mesmo tempo tenho a certeza de que estou sendo corretamente supervisionada.

Já o nutricionista vai ser seu principal aliado na preparação de sua composição corporal, ou seja, através de um programa alimentar personalizado, baseado na sua taxa metabólica,  frequência de atividade física,  idade e objetivo a ser atingido, esse profissional será o responsável pela sua mudança de dentro para fora.  Particularmente não vejo com bons olhos nutricionistas que ainda não conhecem o paciente e já indicam suplementos para iniciantes na atividade física.  Mas esta é a minha opinião,  cada um sabe o fígado que tem, se quiser sobrecarregá-lo, esse não é meu departamento.

Confesso,  sem modéstia,  que tenho uma equipe TOP me ajudando no #projetodri40.  Sem eles, os 4,3kg já eliminados até hoje ainda estariam dentro de mim.

E você,  já montou sua equipe para o sucesso?

Por hoje é só! 

Projeto Dri 40: o que é, quem sou e o que quero


Olá,  esse é o post inaugural aqui do blog dri40.com.br. 

Meu nome é Adriane, tenho 24 anos de idade e um enorme conflito com a balança.  Sou relativamente alta, dependendo do horário da medição chego a 1,705 m de altura (a tendência é ir encolhendo durante o dia ), mas meu peso estava bem longe do ideal para uma pessoa com as minhas características. 

Um belo domingo (sim, um domingo) me revoltei com o meu sedentarismo e resolvi agir. Peguei meu trampolim e resolvi assistir um vídeo de jump. Não aguentei 15 minutos.

Naquele momento eu percebi que era hora de mudar. Na segunda fui até a academia e fiz matrícula.  Na terça finalmente dei início ao Projeto Dri 40, que consiste no meu objetivo de vestir oficialmente jeans 40, e além disso reduzir o meu percentual de gordura corporal. Desde então não parei mais. 

Aqui vou aproveitar para contar tudo o que tenho feito para atingir os meus objetivos, e conto com você para me incentivar nessa caminhada.