Multiplique motivos!

Essa semana eu finalmente voltei ao rítmo normal do #projetodri40 e treinei cinco vezes durante a semana. Quem me acompanha aqui desde o começo sabe que essa é a frequência que eu estabeleci para chegar até aqui (e funcionou).

Por mais que eu já esteja no meu "peso ideal" e já tenha saído do sonhado jeans 40 para o jeans 38, eu sinto que posso fazer mais por mim, e principalmente pelos outros.

Eu durante anos fui convicta de que eu nunca iria perder peso, que eu nunca iria conseguir correr e que eu nunca ia gostar de fazer academia. E eu perdi peso, eu corro e eu amo ir para a academia! 

Sempre tive muita coragem de mudar o visual. Meu cabelo é a prova cabal disso. Já tive cabelo preto liso, castanho enrolado, ruivo curto, loiro curto, loiro muito comprido, castanho comprido, castanho curtinho. Eu não tenho medo de mudar. Mas por que eu tinha medo de mudar o que mais me incomodava? Era medo de não poder comer brigadeiro, de ter que cortar o refrigerante, a batata frita e o sorvete? Medo de não poder me recompensar com besteiras e de não comer nada gostoso fora de casa? Todas as alternativas corretas! Até que um dia, resolvi fazer isso aí: tentar!

Primeiro dia de tentativa e start do #projetodri40 - Não consegui mais que dez minutos!

E se eu disser que todos esses meus medos não eram reais? Que eu ainda como brigadeiro, bebo refrigerante, peço batata frita quando saio para um barzinho e tomo sorvete? A questão é que para tudo há uma adaptação! Não adianta comer uma panela de brigadeiro todos os dias durante a TPM, mas comer um pouco uma vez na semana é delicioso! Refrigerante nunca é minha primeira opção, mas às vezes enjoo do suco de morango e peço um guaraná zero. Sorvete então, pra que comer um pote se posso me demorar com uma casquinha em dias de calor? A verdade é que as pessoas tem medo de ter que tomar atitudes radicais, e emagrecer de maneira radical é a pior escolha possível. Primeiro porque nosso organismo precisa dos mais variados nutrientes. E nosso metabolismo se acostuma muito rapidamente com o que comemos. Se sempre comermos as mesmas coisas, a tendência é que ele fique lento, então é importante dar a ele oportunidade de trabalhar mais rápido (para digerir aquele brigadeiro que você estava há dias sem comer).

Começar a frequentar a academia é uma decisão também complicada, porque lá os medos são outros. Medo de ser a única pessoa sem um corpo magro e musculoso, de não conseguir levantar um halter com mais de 2 kg ou de ficar com a língua de fora na esteira em 5 minutos a 5 km/h. Acontece que todo mundo já passou por isso. Ninguém nasce com o abdômen trincado e com pernas fortes. Essas pessoas tiveram que começar com pouco. Tudo questão de treino. Eu sou extremamente tímida, por mais que não pareça. Ano passado eu comecei a academia e meu professor me chamava de Kelly o tempo todo (é meu segundo nome, mas ninguém me chama assim) e eu morria de medo de corrigir e acabei deixando que ele me chamasse assim por semanas! Eu não conversava com ninguém, mas ia arrastada cinco vezes toda semana, acreditando que minha barriga nunca iria diminuir, que eu nunca iria conseguir pegar pesado nos treinos. E hoje eu consigo levantar mais de 200 kg no leg press. 

Há 1 ano atrás eu era a pessoa desmotivada que não confiava em seu próprio projeto. Eu não tinha coragem de fechar plano anual na academia por medo de desistir, porque eu tinha certeza que eu ia parar, largar tudo e nunca mais cogitar emagrecer novamente. 

Todas as vezes que eu escrevo aqui, sempre lembro vocês que esse tipo de motivação se aplica a qualquer que seja o seu objetivo/projeto. Porque sempre teremos muito mais motivos para desistir do que para seguir em frente. Mas se houver um único motivo para você tentar (no meu caso era uma tremenda baixa autoestima) vale a pena multiplicar esse único motivo e com isso ele se tornará muito maior que a soma todos os motivos que você tinha de não tentar.

E se o seu objetivo foi alcançado ou está se aproximando, não tenha vergonha de compartilhar com  quem está próximo de você. Para algumas pessoas só falta um convite para começar, um pequeno empurrãozinho. Claro que você não precisa criar hashtag no Instagram ou pagar pelo domínio de um blog para divulgar seu projeto, mas se quiser, por que não?

Até mais!
Beijos,



Dri


Nenhum comentário:

Postar um comentário